Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para busca 3 Ir para rodapé 4 Acessibilidade 5 Alto contraste 6

---

  • ?
  • ?

---

  • ?
  • ?


São Martinho protocola levantamento de prejuízos pós-enxurrada

Publicado em 16/05/2022 às 18:43 - Atualizado em 16/05/2022 às 18:49

Após realizar um intenso levantamento dos prejuízos causados pela enxurrada registrada no início deste mês de maio, a Prefeitura Municipal de São Martinho já protocolou o Formulário de Informações do Desastre (FIDE) e a Declaração Municipal de Atuação Emergencial (DMATE), no Sistema Nacional de Proteção e Defesa Civil (SINPDEC). A Administração espera, com esses documentos, conseguir recursos financeiros do Estado e também da União para reparar os danos públicos causados em todo o território municipal.

 

De acordo com a Defesa Civil local, o ciclone extratropical que se formou na região Sul do Estado entre os dias 2 e 5, teve como consequência na cidade de São Martinho o fenômeno denominado como enxurrada. Em apenas 72 horas, choveu no município quase 377 milímetros, o que gerou o transbordamento do Rio Capivari e seus principais afluentes.

 

Com a cheia, toda a população foi afetada de forma direta ou indireta, tendo em vista que as vias de saídas do município ficaram todas bloqueadas. Assim como algumas instalações da municipalidade, casas foram inundadas, famílias ficaram desalojadas e dezenas de quedas de barreiras foram registradas, além do comprometimento estrutural de pontes e obstrução de vias viscerais. A agricultura e pecuária também sofreram com a enxurrada. Felizmente, não houve registro de mortos ou feridos. Estima-se que o prejuízo provocado pela enxurrada ultrapasse os R$ 12 milhões.

 

“São vários os pontos do município que ainda estão interditados ou parcialmente bloqueados. Nossa população afetada trabalha intensamente na recuperação dos prejuízos materiais. Agora, estamos buscando auxílios do Estado e da União para que consigamos reparar os prejuízos gerados, principalmente em prédios públicos e estradas. Importante frisar que, esse foi o evento climático mais desastroso da história de São Martinho desde a sua emancipação, e, por essa razão também declaramos Situação de Emergência. Continuaremos firmes em busca de soluções”, destacou o prefeito Robson Jean Back.

 

Confira parte do levantamento realizado pela Defesa Civil Municipal, em cooperação com a AMUREL, EPAGRI e Secretaria Municipal de Agricultura e Meio Ambiente, com a estimativa de perdas e danos:

 

AGRICULTURA: R$ 1,03 milhão


PECUÁRIA: R$ 1,7 milhão

INDÚSTRIA: R$ 305 mil

COMÉRCIO: R$: 28,5 mil

 

DANOS HUMANOS, MATERIAIS OU AMBIENTAIS

 

Pessoas que saíram de suas residências: 05


Pessoas afetadas de forma direta: 3.157

 

AFETADOS

 

Unidades Habitacionais: 38


Prejuízo: R$ 850 mil

 

Instalações Públicas de Ensino: 02


Prejuízo: R$ 85 mil

 

Instalações Públicas Prestadoras de Outros Serviços: 01


Prejuízo: R$ 40 mil

 

Instalações Públicas de Uso Comunitário: 03


Prejuízo: R$ 70 mil

 

Obras de Infraestrutura Pública: 24


Prejuízo: R$ 9,1 milhões